Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
17/03/2020
Soja sobe em Chicago nesta 3ª feira e recupera parte das baixas intensas do pregão anterior
Como tradicionalmente acontece após sessões de baixas muitos intensas, o mercado da soja sobe na Bolsa de Chicago na manhã desta terça-feira (17)

Notícias Agrícolas

Como tradicionalmente acontece após sessões de baixas muitos intensas, o mercado da soja sobe na Bolsa de Chicago na manhã desta terça-feira (17). Os futuros da oleaginosa, por volta de 7h45 (horário de Brasília), subiam entre 6 e 7 pontos nos principais contratos, com o maio valendo US$ 8,28 e o julho, US$ 8,36 por bushel.

Os negócios seguem focados nas questões ligadas ao coronavírus e à crise econômica global diantes dos efeitos da pandemia.

"Neste momento não há muito que adicionar. Covid-19 assustando o mercado, crise econômica global amedrontando a todos e sem compras de soja americana pela China. Assim, as cotações futuras internacionais do complexo soja dificilmente se sustentam, mesmo após reação técnica", explica Steve Cachia, consultor de mercado da AgroCulte e da Cerealpar.

As demais commodities também operam em alta, porém, um pouco mais contidas nesta manhã de terça, à exceção do petróleo, que tem alta de mais de 2,5% em Nova York, com o barril do WTI valendo US$ 29,76. Café e açúcar, na contramão, testam leves perdas, assim como o ouro.

As bolsas de valores têm novo dia de baixas na Europa e, na China, os índices acionários testam suas mínimas em seis semanas diante das novas informações.

Os traders seguem muito atentos às notícias sobre o crescimento do número de casos e óbitos em todo mundo, além dos efeitos severos que já podem ser registrados em importantes economias globais, com centenas de pessoas em quarentena.

Tags: