Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
08/04/2019
Avicultura
Desempenho do frango vivo e abatido na 14ª semana de 2019
Há tempos, muito tempo, o mercado do frango não experimentava uma primeira semana de mês como a de abril corrente, a décima quarta de 2019

AviSite

Há tempos, muito tempo, o mercado do frango não experimentava uma primeira semana de mês como a de abril corrente, a décima quarta de 2019. E não apenas porque esse mercado voltou a refletir o momento econômico do consumidor (época de pagamento dos salários), mas especialmente porque a valorização registrada no período alcançou simultaneamente frango vivo e abatido, fato que se tornou raro na atividade.

Depois de superar, na virada do segundo para o terceiro decêndio de março, valor nominal (R$3,25/kg) que permanecia imbatível desde 2016, o frango vivo negociado no interior paulista ainda obteve novos ajustes, estabilizando-se em R$3,40/kg, valor com que entrou em abril e que, supunha-se então, representava o limite para o momento. Mas não era. Pois, no decorrer da semana que passou, o frango vivo obteve dois novos ajustes de cinco centavos cada, com o que inicia a segunda semana de abril cotado em R$2,50/kg.

Os desavisados sem dúvida se surpreenderão com esse valor, pois além de representar recorde nominal que deixa para trás todos os máximos anteriores, corresponde a uma valorização de, praticamente, 60% em relação ao que foi praticado um ano antes, na mesma data. Mas é preciso lembrar, sempre, que um ano atrás os preços do frango vivo retrocediam aos menores valores da década. Além disso, considerado o maior preço anual anterior (média de R$2,89/kg em 2016), a cotação atual representa incremento médio de pouco mais de 0,6% ao mês em, praticamente, dois anos e meio.

A situação do frango abatido não é muito diferente, já que foram precisos apenas cinco dias de negócios (os cinco primeiros do mês) para que também atingisse um dos maiores valores nominais da história (aliás, o segundo maior valor nominal, já que a média atual se iguala aos R$4,37/kg de outubro de 2016 e permanece aquém, somente, dos R$4,48/kg de setembro daquele ano). Além disso, com esse valor, o frango abatido acumula incremento de mais de 67% sobre a média registrada em abril de 2018.

Esse, aparentemente, é um desempenho que, no mínimo, deve persistir no decorrer da corrente semana. Porém, nada impede que ocorram novas valorizações, já que a demanda permanece firme e, à primeira vista, não há, no curto prazo, indícios de aumento da oferta.

Frango vivo e abatido

Tags: