Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
19/09/2018
Avicultura
Frango, ovo, milho e inflação em agosto de 2018
Em agosto, frango vivo e ovo voltaram a perder não só da inflação, mas também de sua principal matéria-prima, o milho

AviSite

Em agosto, frango vivo e ovo voltaram a perder não só da inflação, mas também de sua principal matéria-prima, o milho. Mas enquanto o frango preservava a cotação de julho, o ovo perdia preço pelo segundo mês consecutivo, retrocedendo assim à segunda menor cotação de 2018.

Uma vez que o frango vivo praticamente manteve a alta cotação alcançada em junho (como efeito da greve dos caminhoneiros), o valor alcançado no mês apresentou valorização anual de 20%. Já o ovo caminhou inversamente, sofrendo baixa anual superior a 24%.

Pior, porém, quando se analisa a evolução de preços dos dois produtos na vigência do atual padrão brasileiro, o real. Pois, frente a uma inflação já próxima dos 600%, o preço do frango evoluiu 400%, ou seja, 200 pontos percentuais abaixo da inflação.

Por seu turno o ovo, considerado o preço mais recente, apresenta evolução que corresponde a, praticamente, metade do ganho do frango – apenas 215% - e que se encontra cerca de 380 pontos percentuais abaixo da inflação medida pelo IGP-DI.

Quer dizer: se conseguisse apenas acompanhar os índices inflacionários acumulados desde 1994, a caixa do ovo branco extra, por exemplo, estaria alcançando no atacado paulistano preço superior a R$130,00. Mas foi comercializada por menos da metade desse valor.

De toda forma, não custa mencionar que há pouco mais de um ano, mesmo não tendo alcançado a inflação, o preço do ovo chegou a corresponder a mais de 70% do índice inflacionário até então acumulado (mais exatamente, 73,14% em abril de 2017). Se, de lá para cá, ocorreu essa forte deterioração nos preços do produto é porque rompeu-se o equilíbrio entre oferta e procura.

Avicultura

Tags: